NOTÍCIAS

31/03/2017

Projeto Jeitos de Aprender tem início em março

A Fundação Abrinq dá início a mais um Projeto que prioriza a educação, é o Projeto Jeitos de Aprender. Ele visa contribuir com a melhoria da qualidade de ensino das crianças matriculadas em creches das cidades Nova Ubiratã e Sorriso, ambas no Mato Grosso, por meio de atividades formativas para professores e coordenadores pedagógicos, doação de acervo literário, kits de jogos para as creches participantes do Projeto e promoção da melhoria de infraestrutura de duas creches.

Nos dias 09 e 10 de março aconteceu o primeiro encontro de formação, na Secretaria de Indústria e Comércio de Nova Ubiratã e na Secretaria Municipal de Educação de Sorriso. O evento contou com a presença de gestores, coordenadores e professores das creches participantes, além de representantes da Secretarias Municipais de Educação, e da empresa parceira e patrocinadora máster Nidera Sementes, que participou ativamente do planejamento do Projeto em conjunto com a equipe da Fundação Abrinq.

O evento foi direcionado aos profissionais da educação envolvidos no Projeto e foram apresentados os seguintes temas: planejamento, indicadores de qualidade da Educação Infantil e concepções de infância. A formação tem a carga horária de 48 horas presenciais em cada município, além das multiplicações que estes profissionais irão realizar para os demais professores e familiares das escolas participantes. Os temas abordados, ao longo do processo formativo, são baseados nas concepções da Educação Infantil, Indicadores de Qualidade, práticas de leitura, brincadeiras infantis, raciocínio lógico e estão distribuídos em seis encontros por município.

As creches participantes são:
• No Município de Sorriso, os CEMEIS - Centros Municipais de Educação Infantil: São José, Jardim Amazônia e São Domingos;
• No Município de Nova Ubiratã, os CEMEIS - Centros Municipais de Educação Infantil: Pequeno Anjo, Eugenio José Antônio Pinesso e Dois Pinheiros.

“A formação nos contempla com conhecimentos que irão contribuir fortemente para o desenvolvimento da nossa prática pedagógica e as crianças serão as mais beneficiadas. Só isso já valeria a pena, mas para a formação pessoal, todo o contexto também é muito bom”, afirma Dilma Aparecida das Neves, coordenadora pedagógica da CEMEI Pequeno Anjo.