Notícias

Fundação Abrinq realiza encontro das organizações conveniadas para o ciclo 2019-2021 do Programa Nossas Crianças

Tue, 10/01/2019 - 09:35
Fundação Abrinq realiza encontro das organizações conveniadas para o ciclo 2019-2021 do Programa Nossas Crianças

A Fundação Abrinq realizou, na última quarta-feira (25), o encontro entre as 21 organizações conveniadas para o ciclo 2019-2021 do Programa Nossas Crianças. O evento proporcionou as primeiras interações entre as organizações do novo ciclo, que conheceram a dinâmica de assessoramento técnico e financeiro do programa, puderam assistir às apresentações das áreas institucionais da Fundação Abrinq e compartilharam as histórias, os desafios e os projetos de cada uma, voltados ao acolhimento institucional, educação infantil, aprendizagem, violência doméstica e sexual e trabalho infantil para crianças e adolescentes. 

“Nossa pretensão é recuperar e reescrever os futuros possíveis”, afirma Synésio Batista da Costa, presidente da Fundação Abrinq, presente na ocasião, onde fez uma breve apresentação sobre a idealização do programa. 

Na ocasião, as organizações também se apresentaram e contaram o trabalho que realizam em prol da infância e adolescência. Como é o caso do Centro de Defesa dos Direitos Humanos Dom Oscar Romero (CEDHOR), de Santa Rita, na Paraíba. 

Para transformar mais histórias no Brasil, com o apoio da Fundação, a instituição beneficiará mais 150 crianças e adolescentes, entre 6 e 17 anos e 11 meses, com o Projeto Legal, voltado ao enfrentamento do trabalho infantil, tráfico de drogas, violações, entre outras problemáticas enfrentadas na comunidade onde está localizada.  

“Santa Rita é uma cidade que tem um dos piores indicadores nacionais, nas áreas da educação, assistência e saúde. A organização fica exatamente no linear entre o urbano e o rural. Nossa complexidade é que existem demandas das duas questões. Temos todas as deficiências urbanas: crianças que veem de famílias de catadores, desempregadas ou que recebem benefícios sociais, e famílias e crianças que trabalham no agronegócio, na cultura do abacaxi, além do tráfico de drogas, o que é muito frequente”, explica Jania Paula, representante do CEDHOR.

A Associação de Educação Complementar Puro Amor, de Blumenau, em Santa Catarina, também transformará a vida dos pequenos com o projeto Vivências — Como uma colcha de retalhos, que atuará na prevenção e enfrentamento da violência doméstica e sexual — problema recorrente na região segundo a psicóloga da associação, Francieri Wostehoff. 

“Nós atendemos as crianças que são prioritárias da assistência social. São crianças que estão em vulnerabilidade ou já tiveram algum direito violado, seja por negligência, violência intrafamiliar e até abuso sexual. Desde o ano passado, estamos recebendo denúncias muito recorrentes de abuso sexual, porque as famílias têm a instituição como um porto seguro, então eles buscam primeiro ela. A partir disso, sentimos a necessidade de trabalhar com a prevenção para aqueles que nunca sofreram a violência e com o enfrentamento para quem já passou por essas situações. Nós também percebemos que existe uma questão de violência de gênero, de naturalização de comportamentos violentos e de negligências que precisamos tratar para modificar essa realidade”, conta Francieri.

Ao todo, 91 crianças e adolescentes, de 4 a 15 anos e 11 meses, serão beneficiados pela organização, que também conseguirá aprimorar seus espaços e seu atendimento no contra turno escolar.

No dia, cada uma recebeu da Fundação Abrinq uma placa de reconhecimento como organização conveniada. 
Desde 1993, o Programa Nossas Crianças beneficiou 103.057 crianças em situação de vulnerabilidade social, por meio de 319 organizações que receberam o apoio da Fundação.

Clique aqui e confira todas as organizações conveniadas para o ciclo 2019-2021.