NOTÍCIAS

16/08/2017

O BRINCAR E O APRENDER TAMBÉM ANDAM DE MÃOS DADAS

O BRINCAR E O APRENDER TAMBÉM ANDAM DE MÃOS DADAS

Muitas vezes não entendemos as diversas brincadeiras dos pequenos e seu imaginário vibrante. Porém, ao prestar mais atenção nelas, podemos descobrir uma infinidade de processos acontecendo durante um simples jogo de montar, teatrinho ou brincadeira de bola.

Longe de parecer apenas uma forma de passar o tempo, para uma criança, a brincadeira pode ser todo um universo no qual ela vive, experimenta possibilidades, aprende e também se desenvolve. É o seu mundo mais próximo, compreensível e acessível.

A forma como se brinca e do que se brinca diz muito sobre a realidade em que ela está inserida, suas preferências, personalidade, medos, anseios e processos emocionais. Uma criança pode, por meio da brincadeira, recriar uma situação que esteja vivendo e repetir aquilo que aprende em outros lugares. Brincando ela pode entender melhor um assunto ou até lidar melhor com um problema.

O contrário também vale, de forma que certos tipos de brincadeiras, jogos, espaços e estímulos, podem ter diferentes efeitos sobre as crianças. Brincadeiras com cunho violento, ambientes agitados, com som contínuo ou muitos estímulos, sejam visuais, tecnológicos ou interpessoais, atuam de forma diferente do que brincadeiras mais amenas ou colaborativas, ambientes tranquilos, livres, com espaço para o descanso, para a criação e o contato com a natureza. Muitas crianças hoje enfrentam a triste realidade de disporem de pouco tempo ou espaço adequado para brincar e precisam lidar com a sobrecarga precoce de tarefas, tornando-se ansiosas, irritadiças ou até com dificuldade de aprendizagem e desenvolvimento.

O brincar e o aprender também andam de mãos dadas. Quem nunca viu uma criancinha brincar com nomes, letras, números ou a linguagem? O que pode parecer ao adulto um exercício sem muito significado, como as repetições por exemplo, no entendimento da criança, são uma forma de reafirmar e reforçar o que já sabe, para, a partir disso, aprender mais e mais.

Nos momentos em que está livre para brincar do que quiser e como quiser, a criança constrói significados para seu mundo e interage com ele, se desenvolvendo tanto fisicamente, através de cada novo desafio, mas também internamente.

A criatividade e a curiosidade nesse sentido desempenham um papel fundamental: é descobrindo que a criança expande seus horizontes e tem vontade de aprender e conhecer cada vez mais! Por isso, um dos direitos das crianças é o direito ao brincar como uma das principais e mais importantes atividades que realizarão nos primeiros anos de vida.

Observe, respeite, incentive! Brincar é uma delícia e pode ser colocado em prática a qualquer momento.