Encerrados



Projeto Construindo Saberes

O Projeto Construindo Saberes teve seu foco direcionado à formação de professores e coordenadores pedagógicos de Escolas de Educação Infantil e Creches de Biritiba Mirim, buscando o desenvolvimento das práticas de leitura e linguagem das crianças. Também contou com doação de acervo literário para tais instituições.



Projeto Creche para Todas as Crianças – Cyrela

O Projeto contou com o patrocínio máster do Instituto Cyrela com o objetivo de sensibilizar e mobilizar educadores e gestores em prol de melhorias nas creches. Reuniu 16 profissionais de educação em seus dois encontros de formação, contemplando a organização social Creche São Francisco de Assis em Duque de Caxias – RJ, com doação de kits com acervo de jogos e livros, beneficiando 49 crianças durante seu período de vigência.



Projeto Creche para Todas as Crianças – Trelleborg

Com patrocínio máster da Trelleborg, o Projeto beneficiou em seu período de atuação 28 escolas municipais maternais. O município de Barueri foi contemplado com a doação de livros, projetos de boas práticas em mediação de leitura, contação de histórias e brincadeiras, beneficiando 7.485 crianças.



Projeto Creche para Todas as Crianças – Samsung

Com patrocínio máster da Samsung, o Projeto teve como foco a melhoria na qualidade da educação, envolvendo 15 Centros de Educação Infantil do distrito de Capela do Socorro, em São Paulo, com encontros de formação para professores. Durante sua vigência, promoveu o encontro de 30 famílias dos membros das CEIs, doação de jogos, brinquedos e livros, beneficiando 2.448 crianças.



Por Todas as Crianças

Programa global desenvolvido no Brasil a partir de 2011 até 2015, para somar esforços para o alcance das metas dos Objetivos do Milênio de números 4 e 5 - reduzir a mortalidade na infância e melhorar a saúde materna, respectivamente. Contribuir para o alcance desses objetivos implica tratar de questões relativas ao pré-natal, estimulo a prática do parto normal, o aumento dos indicadores de aleitamento materno, entre outros.



Projeto Hábitos Saudáveis em Cena

O Projeto teve como objetivo contribuir para a democratização da cultura e para a difusão da importância da promoção e da adoção de hábitos saudáveis entre a comunidade escolar de três municípios localizados no Estado de Pernambuco.



Projeto Hábitos Alimentares Saudáveis no Norte e Nordeste

O Projeto teve como objetivo contribuir com a saúde e a nutrição das crianças de 0 a 5 anos em 10 municípios das regiões Norte e Nordeste, com alta incidência de desnutrição, promovendo hábitos alimentares saudáveis em crianças de creches e pré-escolas e a valorização de alimentos regionais na alimentação infantil.



Conhecer para Nutrir

O Projeto contribuiu com a saúde e a nutrição das crianças de 0 a 5 anos, promovendo a articulação entre governo e sociedade civil, capacitando Agentes Comunitários de Saúde, Cozinheiras e Merendeiras de Escolas de Educação Infantil e membros do Conselho de Alimentação Escolar, para promover hábitos saudáveis e a valorização de alimentos regionais.



Projeto Jeitos de Aprender na Educação Infantil

O foco do Projeto foi fortalecer as práticas de leitura, de brincadeiras e de raciocínio lógico de crianças de 0 a 3 anos, aproximar vínculos e estimular atividades com as famílias para que as mesmas contribuam no processo de aprendizagem dos seus filhos. Durante suas atividades nos anos de 2011 a 2015, o Projeto Jeitos de Aprender na Educação Infantil realizou 83 encontros de formação para 218 profissionais de educação, que multiplicaram este conhecimento para 3.379 professores, em 15 Centros de Educação Infantil (CEIs) e 54 Escolas Municipais de Educação Infantil (EMEI), o Projeto realizou 124 encontros de família da região do Campo Limpo, zona sul de São Paulo. Ao total o Projeto doou 14.014 livros, 8.489 jogos e brinquedos, desenvolveu 59 projetos de práticas pedagógicas, beneficiando 28.099 crianças.



Projeto Mediação de Leitura

O Projeto teve o objetivo de despertar a visão crítica sobre a realidade e o protagonismo juvenil, construindo uma cultura de paz nas relações com as crianças, por meio da mediação de leitura. Foram 81 adolescentes do Projeto Arrastão formados como mediadores, que colocaram em prática o que aprenderam, realizando mediações de leitura com 775 crianças de Educação Infantil e do Ensino Fundamental. Além disso, livros foram doados para compor o acervo da organização EMEI Campo Limpo, escola participante do projeto.



Projeto Planeta Musical

Desenvolvido em três organizações sociais da Zona Sul de São Paulo, teve o objetivo de promover e fortalecer a interação e a comunicação de crianças e adolescentes através da música, estimulando a percepção, expressão e aquisição dos significados dos códigos musicais e sociais. Foram realizadas oficinas de música nas organizações Casa do Zezinho, Fundação Julita e Projeto Arrastão, que proporcionaram aos adolescentes se apresentarem para um público de 3.521 pessoas, em 16 apresentações. No total, 515 crianças e adolescentes participaram do Projeto e 98 instrumentos foram doados para as organizações.



Projeto Salvando Vidas

Aplicado em seis cidades do estado de Pernambuco, o Projeto teve o objetivo de reduzir as taxas de mortalidade infantil e materna destes municípios, através da qualificação do atendimento de saúde voltado para gestantes e crianças de 0 a 5 anos. Foram realizadas ações de apoio técnico aos órgãos municipais de saúde, mobilização social das comunidades, e formação de profissionais para o atendimento materno e infantil.



Projeto Ciranda da Saúde

O Projeto teve o intuito de informar de maneira lúdica sobre as responsabilidades e desafios do cuidado e da saúde da criança, gravidez na adolescência, direitos reprodutivos, planejamento familiar, saúde materna e formas de incentivo para buscar as Unidades de Saúde da Família. Foram promovidas 31 apresentações teatrais do espetáculo “Rosinha está grávida e florzinha quer nascer: e agora o que fazer?”, com o intuito de sensibilizar e promover saúde na área dos direitos reprodutivos e sexuais, em nove cidades do estado de Pernambuco.



Programa Criança com Todos os seus Direitos

Direcionado para o desenvolvimento da Primeira Infância, integrando as áreas de saúde, educação e proteção, o Programa Criança com Todos os Seus Direitos atuou 5 anos em 35 municípios da região do semiárido pernambucano. Durante o tempo de atuação, beneficiou 55.623 crianças e capacitou 1.797 profissionais em Desenvolvimento Integral da Primeira Infância.



Projeto Conhecer para Mudar

O Projeto Conhecer para Mudar teve o objetivo de mobilizar, articular e capacitar profissionais da rede de proteção local, a partir da realização de uma pesquisa de diagnóstico sobre a condição de crianças e adolescentes em situação de trabalho infantil e demais violações de direitos, nas dependências e imediações da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp). Atingiu cerca de 30 profissionais.



Projeto Jogando Limpo com Nossas Crianças

Prevenir o trabalho infantil e a exploração sexual comercial de crianças e adolescentes. Esse foi o objetivo do Projeto Jogando Limpo com Nossas Crianças. Assistentes sociais e os coordenadores pedagógicos de dez organizações sociais, integrantes da Rede Nossas Crianças, receberam formações com foco no trabalho infantil e a exploração sexual comercial de crianças e adolescentes. Com isso, 500 crianças e adolescentes foram beneficiados.



Projeto Mudando a História

Desenvolvido de 2001 a 2011, a partir de uma parceria com a Nokia e a International Youth Foundation, o Mudando a História teve como proposta oferecer aos jovens a oportunidade de atuar como mediadores e multiplicadores de leitura, a partir de práticas que favoreçam a construção de uma imagem positiva da leitura como uma atividade prazerosa, divertida e cotidiana..



Projeto No Pé da Letra

Leitura por prazer, esse foi o impacto que o Projeto No Pé da Letra provocou no desenvolvimento do comportamento leitor de crianças de 0 a 6 anos que frequentam Escolas Municipais de Educação Infantil em Campo Limpo, na zona sul de São Paulo. A sistematização dos resultados desta iniciativa, desenvolvida entre 2009 e 2011, resultou em uma publicação que, além do registro das atividades realizadas, servirá de instrumento para que outras escolas possam desenvolver práticas pedagógicas relacionadas à leitura.

Download da Publicação



Projeto Creche e Reforma

Projeto desenvolvido em parceria com a SulAmérica, com o objetivo de ampliar o número de vagas e melhorar a qualidade de atendimetno de creches, beneficiando crianças de 0 a 3 anos, da região de Cidade Nova, Rio de Janeiro.



Projeto PontocomCiência

O Projeto PontocomCiência foi resultado da parceria da Fundação Abrinq com a empresa Bayer e visou despertar o interesse de crianças e adolescentes para a ciência e pesquisa, contribuindo assim com o desenvolvimento socioambiental da região da Capela do Socorro, em São Paulo capital, por meio da educação ambiental nas escolas locais, com interferência na comunidade do entorno.

Download da Publicação



Programa Biblioteca Viva

O Biblioteca Viva foi um programa desenvolvido de 1995 a 2008 pela Fundação Abrinq em parceria com o Citi. Tratou-se de uma ação cultural que considerava o livro um direito e a leitura fundamental para o exercício pleno da cidadania. O programa possibilitou o acesso de crianças e adolescentes à leitura e a outras atividades culturais importantes para o seu processo formativo e desenvolvimento pessoal.



Projeto Fortalecer

Promovido no âmbito da Rede Nossas Crianças, teve como objetivo principal o fortalecimento de organizações sociais para que, em rede, promovam a defesa dos direitos e o exercício da cidadania da criança e do adolescente de modo mais efetivo.



Programa Petrobrás Jovem Aprendiz

Foi uma iniciativa da Petrobrás que, no cumprimento da Lei do Aprendiz (nº 10097/2000), atendeu jovens (com idade entre 14 e 18 anos, residentes dos municípios onde há unidades da Petrobrás) de acordo com as cotas de 15% do número de funcionários efetivos em cada unidade da empresa, por meio de uma proposta pedagógica de implementação da Lei.



Projeto Empreendedorismo Juvenil e Microcrédito

Desenvolveu a formação em empreendedorismo e concessão de microcrédito a jovens de baixa renda com idade entre 18 e 24 anos das regiões de São Paulo (capital), Guarulhos, Francisco Morato, Diadema, Santana de Parnaíba, Sorocaba, Santos e São Vicente.



Programa Garagem Digital

Promoveu a inclusão digital de jovens e o desenvolvimento de suas comunidades por meio das tecnologias da informação e da comunicação. As garagens funcionaram tanto como local de formação de jovens de 14 a 24 anos, como ambiente de utilização pública para a comunidade do entorno, contribuindo para o desenvolvimento local.



Projeto Virada de Futuro

Ofereceu oportunidade de formação a 39 jovens por meio de bolsas de estudos e de ações complementares que visaram à ampliação de seu horizonte cultural e afirmação da autoestima. O projeto teve sua metodologia sistematizada, com o objetivo de inspirar outras organizações e empresas interessadas em apoiar a entrada e permanência de jovens no ensino superior, reunir e disponibilizar as aprendizagens identificadas.



Programa de Educação Infantil

Contribuiu para a melhoria da qualidade da educação infantil por meio da implantação de núcleos que são referência no atendimento e na formação de profissionais do seu entorno.



Projeto Semeando Tecnologia

Teve por objetivo disseminar conceitos e metodologias de inclusão digital junto a escolas públicas e organizações sociais. O projeto possibilitou que 20 jovens, ex-alunos do Programa Garagem Digital, multiplicassem seus conhecimentos em tecnologias da informação e comunicação para mais de 2 mil pessoas da região de São Mateus, zona leste de São Paulo.



Projeto Projetando a Vida

Teve por objetivo reduzir a evasão e o abandono na Educação de Jovens e Adultos (EJA) a partir da aproximação dos jovens alunos com profissionais voluntários de sua comunidade. Desenvolvido em quatro escolas públicas do município de Campinas (SP), em parceria com a Diretoria Oeste Campinas da Secretaria de Educação do Estado de São Paulo, o projeto contou com a participação de 245 alunos. Foram realizadas também oficinas de mecânica, recursos humanos, padaria artesanal, sabonete artesanal, bijuterias, bordado com fita, teatro, customização, pintura em tela, manicure, reciclagem, violão, tear, capoeira e jardinagem.



Projeto Geração Jovem

Apoiou oficinas e cursos de arte, pluralidade cultural, memória/história, saúde e meio ambiente em organizações sociais, preparando os jovens para que fossem agentes multiplicadores destes conhecimentos em suas comunidades. Envolveu 551 jovens de 15 organizações das cidades de São Paulo e Campinas (SP) e o aprendizado foi reunido no livro Juventude Presente: Lições do Projeto Geração Jovem.



Projeto Tear

Teve o objetivo de fortalecer a atuação estratégica da Rede Nossas Crianças, preparar líderes das organizações sociais para compreenderem e atuarem em processos de desenvolvimento social, capacitar profissionais das organizações em técnicas de gestão, sensibilizar organizações fora de São Paulo para participar da Rede e fortalecer sua iniciativa local. As atividades do projeto compreenderam encontros mensais, ciclos de estudos, oficinas de gestão e encontros de planejamento.



Programa Cidadania Jovem

Fazer do jovem um agente de transformação dele próprio e da sociedade na qual está inserido é como se define o conceito de protagonismo juvenil, foco principal do projeto. Criado em 1998, foi formado por cinco projetos menores: Mudando a História, Virada de Futuro e Garagem Digital; Olhar Jovem, voltado à capacitação de jovens para documentar e disseminar projetos sociais em que estivessem vinculados, por meio de técnicas de linguagem fotográfica, de vídeo e de internet; e Geração Jovem, que ofereceu aos adolescentes cursos nas áreas de arte, meio ambiente, saúde, memória, história e pluralidade cultural, preparando-os para serem multiplicadores de conhecimento em suas comunidades. O Programa Cidadania Jovem editou duas publicações: Jovem e Ação Cultural - Curadoria e Jovem e Ação Cultural - Mediação de leitura.



Projeto Bola pra Frente

Criado a partir de uma parceria com a Adidas do Brasil, com o objetivo de captar recursos e capacitar educadores de entidades sociais para a prática da educação corporal com crianças, envolveu 39 entidades e beneficiou 12.000 crianças. Em 1997, a experiência foi sistematizada no Manual do Projeto Bola pra Frente.



Projeto Jornalista Amigo da Criança

Com a meta de montar uma rede de formadores de opinião comprometidos com a causa das crianças, a Fundação Abrinq, em parceria com a Agência de Notícias dos Direitos da Infância (ANDI), cria o projeto em 1996. O JAC promove, a cada ano, o reconhecimento público dos profissionais de jornalismo que se destacam na cobertura de matérias nesta área. Em 2000, a ANDI assume a coordenação e operação do projeto. No período, foram diplomados mais de 30 Jornalistas Amigos da Criança, totalizando um total de 144 profissionais engajados.



Projeto Crer pra Ver

Criado em 1995, em parceria com a Natura Cosméticos, teve como um dos focos a valorização da cultura local por meio da melhoria do ensino público e como meta apoiar projetos para o sucesso da criança na escola. Também avaliar e sistematizar projetos referenciais e construir e disseminar referências de qualidade na escola pública. O programa beneficiou mais de 4 mil escolas e quase um milhão de crianças em todo o Brasil, por meio de projetos como Chapada, Chapada Diamantina, Janelas Cruzadas, Escolas Indígenas na Floresta, Cinema e Vídeo Brasileiro nas Escolas. Nesse contexto, foi lançada também uma campanha de Educação de Jovens e Adultos (EJA) com o objetivo de trazê-los de volta à escola.



Projeto da Guarda

Adotava como slogan de campanha a frase: "Seja um Anjo da Guarda: acolha uma criança e ganhe uma sociedade melhor". A ideia foi favorecer a guarda de crianças em situações de risco em famílias substitutas (seguindo o preceito "uma família para cada criança"). A implantação experimental ocorreu em outubro de 1993, nas cidades de Lorena e São José dos Campos, no Estado de São Paulo. Em 1994, depois de uma avaliação dos primeiros resultados, o projeto foi implantado no município de Santos.



Projeto Direito de Brincar - Brinquedoteca

Criado em 1990 para fornecer a creches e entidades de assistência à infância material que possibilitasse a montagem de espaços lúdicos destinados ao público infantil. Teve como meta a implantação de 20 brinquedotecas e a publicação de 5 mil cópias do livro O direito de brincar - a Brinquedoteca. Realizou também a capacitação das equipes para administrar os espaços lúdicos. Esteve ativo até 1994, tento atendido cerca de 12 mil crianças em 22 cidades brasileiras, por meio de 40 entidades beneficiadas.

Topo